sexta-feira, 12 de abril de 2013

Reflexão

Hoje faz um ano que chegamos na Itália. Me lembro dos medos desse dia, eu, uma pessoa mega ansiosa, estava morrendo de medo que me fizessem muitas perguntas na alfândega, " onde você vai?", " Como?", "Quando?", "Por que?". Mas felizmente um simples "Buongiorno" e um sorriso abriram nossa primeira porta. Medos relacionados ao processo de cidadania, às duas palavrinhas que sozinhas são inofensivas, mas que juntas podem causar um estrago: "e se..."; e a total incerteza profissional da minha parte.

Nesse 1 ano giramos pouco, preferimos explorar mais a bella Italia e, apesar de estarmos aqui do ladinho, ainda não fomos conhecer o resto da Europa. O balanço é com certeza positivo, tivemos a cidadania reconhecida, arrumei um emprego em 3 dias num restaurante pra ajudar a pagar as contas, giramos um pouco pela Itália, fomos visitar a família no Brasil, pegamos um cachorrinho muito inteligente no canil, iniciei um Master na Universidade de Pisa, casamos oficialmente e agora, pra completar vou trabalhar em Parma, com pesquisa, no hospital da universidade e finalmente voltar a dar um rumo a minha carreira na área que tenho paixão. Ponto negativo? Roubaram minha bicicleta no dia 31/04, em plena Páscoa enquanto eu ralava no meu penúltimo dia no restaurante. Mas fazer o que, não se pode ter tudo nessa vida, o importante é o resto, o amor, a saúde, a família, os amigos e a realização profissional, que me faltava e agora começa a entrar nos eixos.

Aproveito este pequeno post para incentiva-los a nunca desistir dos seus sonhos. Sua família e amigos vão falar que vocês são malucos de abandonar tudo e vir pra Itália, mas se vocês têm um plano, se não estão fazendo as coisas na "porra-louquice", as chances de dar tudo certo são enormes.

Gostaria de dedicar esse um ano, que comemoramos a base de "roba buona" (como dizem aqui na Itália quando se trata de produtos comprados diretamente do produtor), à minha família amada que morro de saudade. Vocês estão sempre no meu coração e pensamento e não tenho outro a fazer senão agradecer pelo apoio durante todos esses anos, principalmente nos duros 5 anos de faculdade, quando estávamos sempre apertados, mas sempre felizes. Marcelo, você faz parte da minha família faz tempo, mas esse ano oficializamos o início da nossa família. Não sei o que teria sido desse ano sem você, sempre ao meu lado me apoiando e se sacrificando enquanto eu volto a estudar e começo a trabalhar sem salário fixo. Te amo!

Me desculpem pela ausência, mas como não trabalho com cidadania confesso que o blog "amornou". Estou preparando dois posts, um sobre o reconhecimento da minha profissão, que já enviei os documentos e o outro será um retorno ao turismo, já que fazia tanto tempo que não escrevia e nem conhecia nada.

In bocca al lupo!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário