sábado, 11 de outubro de 2014

Back to School

Olá queridos leitores deste humilde blog que felizmente vem crescendo a cada dia. Devagar se vai ao longe, não é isso que dizem?

Escrevo para atualizar-los dos próximos passos da minha jornada italiana. Como eu ainda não postei nada sobre a conclusão do meu processo de reconhecimento da profissão vocês devem estar se perguntando se o mesmo chegou ao final ou não. Infelizmente a resposta é negativa. Desde janeiro/2014, quando saiu a decisão depois da análise dos meus documentos, ainda estou esperando a data da prova. Descobri uma colega nutricionista na mesma situação e nos mantemos atualizadas com relação a contatos do MInistério da Saúde italiano. Pra quem vem fazer esse tipo de processo eu aconselho uma grande paciência e um trabalho alternativo enquanto as coisas não se concluem.

Nesse meio tempo muita coisa aconteceu. Desde que dei entrada no processo enquanto fazia o Master di I Livello in Nutrizione e Dietetica in Nefrologia estou tendo a oportunidade de trabalhar como pesquisadora assistente na Universidade de Parma. Essa oportunidade fez crescer em mim a vontade de seguir a carreira de pesquisadora, não digo ainda de professora universitária, mas com certeza de pesquisadora, se essas duas coisas podem ser dissociadas eu ainda não sei, o que sei é que estou adorando. Não se animem, não sou contratada e muito menos bolsista, não posso trabalhar como nutricionista então as opções são realmente poucas para conseguir um dinheirinho.

Mas não estou aqui pra falar da minha situação financeira, estou aqui pra contar que por causa deste trabalho resolvi voltar pra universidade e fazer meu mestrado, que aqui na Itália corresponde a laurea magistrale e dura 2 anos. O nome da laurea é Scienze dell'alimentazione e nutrizione umana e começou oficialmente na semana passada. O curso não tem obrigação de frequência, então posso estudar em casa e só ir fazer as provas, o que me ajuda muito pois o curso é em Milão e eu moro em Parma.

São 120 creditos formativos (CFU), os exames são divididos em apelos e normalmente são 5 apelos ao longo do ano acadêmico, o estudante não é obrigado a fazer o exame no primeiro apelo, pode escolher entre as dadas disponíveis. Os exames podem ser orais ou escritos, os italianos são acostumadíssimos em fazer exames orais, pra mim parece um terror, hahaha.

De qualquer forma, sempre que possível vou atualizá-los com relação ao curso. Para quem se interessar, aqui encontrará as informações sobre este curso. Como aqui na Itália nós nutricionistas formadas no Brasil conseguimos o reconhecimento da profissão de Dietista, não precisamos fazer o test di ammissione antes de podermos nos matricular no curso.

Um abraço a todos.

In boca al lupo

3 comentários:

  1. Olá Alice, tudo bem?
    Então Alice eu amei o seu blog, super explicativo auto esclarecido, e eu queria que você desse uma direção, eu estou no 2°período de nutrição, vale a pena eu continuar aqui? Ou seria melhor eu fazer aí? Pelo que eu li no seu blog é bem complicado para quem formou aqui... por isso estou em dúvida e nao sei o que faço! Aguardo sua resposta encarecidamente.
    Abraços.
    Aricia K.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aricia, desculpe, achei que eu tivesse mandado um e-mail sobre isso pra alguém, mas provavelmente não foi pra vc. Vc não é Aricia Kianny???? Copia aqui o e-mail que mandei: "Você que tem que saber se vale a pena continuar cursando, é sempre possível trabalhar na área, não quer dizer que seja fácil, se vc fosse largar seria pra cursar o que? Praticamente todas as profissões vão requerer o reconhecimento antes de atuar em outro país, talvez as profissões mais extas como programação, matemática, física e química não, mas o resto sim, principalmente as da saúde e engenharias.
      Se vc realmente gosta da área da saúde, o que eu imagino seja essa a situação pq ngm escolhe trabalhar na área da saúde a toa, e quer ficar tranquila com o futuro profissional, vá fazer medicina, mas se vc ama nutrição e não se importa de batalhar pelo seu lugar ao sol continue com a nutrição. Eu amo nutrição e batalhando pelo meu lugar ao sol fui me especializar em nutrição em nefrologia aqui na Itália, confesso que eu já estava bastante desanimada com as perspectivas. Nesse curso conheci muitas pessoas, inclusive um professor que hj é o meu chefe, ele estuda um assunto que me interessa e eu dei a cara a tapa e fui bater na sua porta pedindo pra trabalhar com ele como pesquisadora. Comecei como voluntário em maio de 2013 e ainda estou assim, tenho uma partita IVA com a qual recebo por contratos de consultoria científica que ele faz com outras empresas, mas não é nada certo, mto menos as quantidades. De vez em quando ele me passa uns pacientes, mas como não posso atender ainda não posso cobrar esses pacientes, na verdade este atendimento seria como parte de um estágio. Não vou te dizer que é fácil, todo mundo precisa de dinheiro pra viver, mas por sorte tenho meu marido que pode trabalhar em casa e não largou o trabalho no Brasil pra vir embora pra Itália, permitindo que eu siga os meus sonhos e faça um trabalho que eu adoro, mesmo sem receber por ele. Agora me inscrevi no mestrado e espero em dois anos conseguir começar a colher os frutos desse sacrifício com uma bolsa de doutorado, mas a batalha ainda é longa e o caminho para nós, outros profissionais da saúde é mais cheio de obstáculos."

      Abraços

      Excluir